obras SUGERIDAS PARA nova concessão dos pedágios

Neste ano de 2021 deverão ser firmados os contratos da nova concessão dos pedágios do Estado do Paraná. Os atuais contratos se encerram em novembro e os vencedores da nova concessão deverão dar continuidade às atividades de imediato.

O modelo de concessão a ser firmado está sendo discutido atualmente entre o Ministério de Infraestrutura do Governo Federal, que ficará responsável pela concessão, e a população paranaense, de forma direta ou por meio de seus representantes que têm realizado audiências públicas por todo o Estado. O modelo proposto pelo Governo Federal é provisório e dependerá ainda de ratificação. Aliás, já manifestamos nossa discordância ao modelo proposto, conforme veiculado pela imprensa.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, vinculada ao Ministério de Infraestrutura, é a responsável por regulamentar e fiscalizar os novos contratos. Dessa forma, a entidade disponibilizou em seu site, para discussão e aprimoramento, os estudos de viabilidade realizados que englobam todos os detalhes da nova concessão, como a minuta do edital de licitação e contrato, as planilhas contendo a descrição e cronograma das obras a serem realizadas, entre outros documentos.

Diante das informações, realizamos um trabalho de levantamento das principais obras que estarão previstas na nova concessão. Como são muitas, focamos nas obras de duplicações e contornos que estão detalhadas no mapa abaixo.

Clicando no ícone, é possível ter acesso às informações como o lote em que a obra pertence, o tipo e quilometragem da obra a ser realizada e para qual ano da concessão está prevista a entrega da obra.

Os ícones em verde representam as obras de duplicações previstas na nova concessão, e os que estão em laranja representam as obras de contornos. Por fim, os ícones em amarelo representam as obras previstas ou em andamento sob responsabilidade ainda das atuais concessionárias.

Logo abaixo do mapa é possível acessar a relação completa de todas as obras previstas para cada lote da concessão. 

A quantidade de obras é um dos assuntos em debate, visto que podem impactar demasiadamente nos valores das tarifas e devem, portanto, serem consideradas apenas aquelas que realmente atende ao interesse público dos usuários.